Importância Exercício Físico

importancia exercicio fisico

O sendentarismo é hoje em dia, um importante fator de risco para o desenvolvimento de muitas doenças sérias e crónicas, tais como diabetes, problemas respiratórios e cardiovasculares, osteoporose, colesterol elevado, obesidade e até alguns tipos de cancro.

A verdade é que hoje em dia, tudo está preparado para que possamos poupar tempo e para que tenhamos o máximo conforto: são escadas rolantes, tapetes rolantes, elevadores, automóveis, carrinhos e serviços que fazem tudo por nós. Assim, grande parte das actividades que antigamente nos levavam a exercitar o nosso corpo de uma “forma natural” – ninguém tem ideia dos nossos antepassados da idade das cavernas terem necessidade de “ir ao ginásio”, nem dos nossos avós ou bisavós terem automóveis que usassem no seu dia-a-dia.

As pessoas andavam bastante, usavam bicicletas em alguns casos, faziam muito uso do seu corpo para as suas actividades rotineiras. Em poucos anos, a situação mudou completamente, deixamos de andar a pé mais de 5/10 minutos em média por dia a pé para deslocações habituais, só não estacionamos dentro dos escritórios, ou dos serviços que queremos ir porque não temos essa oportunidade. 🙂

E, se está um pouco mais de frio, ou se está a chover, então é que é muito difícil arrancar-nos de casa ou do centro comercial para andar cá fora. E isto em pouco mais de 30/40 anos…

Os nossos organismos tem uma herança de há muitos anos, e não se modifica assim tão rapidamente: ou seja, o nosso corpo precisa de ser exercitado com muita mais regularidade do que aquilo que estamos a fazer, sob pena de desenvolver determinadas patologias. Assim, e para ficarmos longe destas possibilidades, só porque não estamos a mexer como devemos, toca a levantar do sofá e vamos fazer algumas diferenças no nosso dia-a-dia.

Aqui ficam algumas dicas fáceis:

– Sempre que possível evite elevadores e use as escadas: quantas vezes não usamos o elevador apenas para nos deslocarmos entre poucos pisos?

– Junte um grupo de amigos para iniciar uma atividade em conjunto que todos gostem – pode ser uma caminhada, correr, aprender uns passos de dança – o incentivo dos outros sempre nos ajuda

– Estacione o carro um pouco mais longe, ainda que seja no centro comercial

– Se andar de transportes públicos, saia uma paragem antes do seu destino habitual

– Na hora de almoço, aproveite para dar uma volta ao quarteirão

– Se tem filhos, aproveite e marque uma hora no fim de semana para fazer uma atividade em conjunto: andar de bicicleta por exemplo

– Dê um passeio a pé pelo jardim, pela praia (ainda que não seja verão) logo pela manhã

– Seja turista na sua própria cidade: acha que já conhece tudo na sua cidade? Saia a pé e visite os monumentos importantes, não precisa de os fazer todos no mesmo dia, um de cada vez. E quando a sua cidade tiver já toda vista, faça o mesmo noutra cidade vizinha ou que goste.

-Procure ao pé de sua casa certos serviços que possa recorrer para ir a pé, em vez que ter que os fazer noutro lugar e deslocar de carro

Não vale a pena colocar objetivos muito altos, que sabe à partida que não vai realizar, mas comece por atividades pequenas, e ao longo do tempo consoante a sua disposição para elas ir aumentando a frequência ou a meta da mesma 🙂

Quando iniciar as atividades verá como conseguirá: aliviar as tensões muito mais facilmente, reduzir a sua pressão arterial, reduzir o colesterol, vai ser um estimulo para perder peso, ou para tonificar os seus músculos, o aumento da massa muscular, o aumento da densidade óssea, melhorar a qualidade do seu sono.

Exercite-se: pelo seu Equilibrio!

Importância de Bem Dormir

noite sono 1

Depois de abordarmos algumas dicas fáceis para uma boa alimentação, vamos aprofundar hoje uma outra fonte de energia muito importante para nos mantermos em equilíbrio: o nosso sono.
Sem dormir, o nosso organismo não funciona na perfeição, necessitando realmente deste estado para se manter equilibrado.

Uma das boas praticas que vimos com relação à alimentação é de jantar pelo menos 3h antes de dormir- permite ao organismo fazer a digestão enquanto estamos numa posição vertical, ajudando sem duvida o processo digestivo – mas permite igualmente que durante o nosso sono, o nosso corpo esteja liberto das funções de digestão para se ocupar daquelas que fazem parte das suas tarefas noturnas.

Verificamos então, que sendo durante a noite, o período em que o nosso corpo está em maior descanso – preferencialmente 7h a 9h numa idade adulta -, numa posição horizontal, onde os sentidos estão em “stand-bye”, os músculos relaxam, o coração acalma e a respiração torna-se mais pausada: tudo apostos para os nossos órgãos começarem então uma nova etapa.

E sobre estas funções que ocorrem durante o sono, muito se poderia falar: desde o crescimento das crianças – as crianças crescem quando dormem, dai a importância de as crianças dormirem bastante; ao processo de memorização – permitir ao cérebro a passagem das informações para locais de registo permanente; à regeneração celular; ao fortalecimento do sistema imunológico; ao restabelecimento energético dos músculos; à produção de insulina –tão importante para prevenir diabetes; à função de regeneração do próximo sangue; entre muitos outros!

Focando nas funções cerebrais, estudos recentes, publicados pela revista Science, na semana passada, , demonstram que os testes que fizeram em ratos mostram que as células cerebrais encolhem durante o sono, dando origem a um maior espaço entre estas e que isso facilita o transito do liquido cérebro espinal, permitindo que este faça uma espécie de limpeza no próprio cérebro, eliminando resíduos tóxicos. Assim, a função do sono restaurador pode ser uma consequência da maior remoção de resíduos potencialmente neurotóxicos que se acumulam no sistema nervoso central acordado. Segundo a notícia do publico sobre este tema “A remoção atempada do “lixo” do cérebro é essencial: por exemplo, a acumulação indevida, no cérebro de uma pessoa, de uma proteína tóxica chamada beta-amilóide pode conduzir à doença de Alzheimer. Mais: quase todas as doenças neuro degenerativas estão associadas à acumulação de lixo celular nos tecidos cerebrais, explica o mesmo comunicado.”

Ou seja, se ainda não estávamos a dar importância à quantidade e qualidade de sono na nossa vida, após a leitura destas informações deveremos ficar mais consciencializados para este tema, e procurar todos os dias dormir as horas necessárias para que o nosso organismo possa proceder de forma eficiente a todas as tarefas que tem para fazer durante este período. Ainda que achemos que esta tudo bem, a fatura poderá não tardar em ser recebida por nós mesmos, e pode ter valores bem altos de juros de tantos anos!

Sabia que a Auriculoterapia tem uma taxa de sucesso em Insónias de 96,7%?

Dicas de Alimentação

alimentacao

Sendo a alimentação a principal fonte de energia para vivermos cada dia da nossa vida, é muito importante termos uma atitude crítica e consciente sobre os alimentos que ingerimos.

Afinal, são estes mesmos que terão uma importância suprema sobre a qualidade do nosso ser, da nossa forma de estar e do nosso equilíbrio.

Assim, deveremos procurar ter em consideração a forma como o nosso organismo reage a cada alimento (e isso cada um de nós sabe dizer que se comer determinado alimento lhe dá terminada reação), mas também procurar não comer apenas aquilo de que gostamos, pois na variedade está a riqueza dos nutrientes que ingerimos.

Aqui ficam algumas pistas que nos podem ajudar no dia-a-dia a ter uma boa alimentação e a fazer de cada um desses momentos, um momento de qualidade.

– Ter atenção à natureza dos alimentos -preferir alimentos naturais, rejeitando os que são processados, preferir os frutos e vegetais da época, alimentos com frescura, viçosos

– O momento da refeição deve ser relaxado, sentado, não estar a fazer outras coisas ao mesmo tempo como ler, ver televisão ou ter conversas difíceis que irão prejudicar a digestão

– Comer alimentos à temperatura ambiente – nem muito quente, nem muito frio, que irão desgastar demasiado o nosso organismo para torna-los à temperatura normal

– Mastigar bem, dando tempo a que os sólidos fiquem bem triturados, e que possam ser enviados ao estômago de uma forma já bastante triturada e não obrigar o estômago a ficar muito mais tempo a procurar decompor os bocados de alimentos que lhe são enviados

– Não se deve comer até ficar cheio, mas parar antes que isso aconteça. Se estivermos com muita fome e comermos muito rapidamente, o cérebro não terá tempo de receber a informação de que o estômago já esta cheio e então continua a enviar informação de que estamos com fome. Se nos alimentarmos de uma forma mais lenta, o cérebro terá tempo para receber a informação e conseguiremos parar a tempo de ficarmos “empanturrados”

– Jantar pelo menos 3h antes de deitar, de forma a que o processo de digestão seja feito ainda numa posição vertical do nosso corpo que lhe é mais favorável, e ao mesmo tempo, libertamos o organismo para fazer as atividades que precisa processar ao longo da noite sem estar a ser desgastado com o processo da digestão.

Estilo de Vida Atual e Alimentação

Escola_1

Atualmente registos de aumento de doenças cardiovasculares, diabetes, AVC’s estão por todo o lado, e infelizmente de uma forma mais preocupante nas crianças. Os adolescentes que têm taxas de colesterol altíssimas, ou que sofrem de diabetes – muitos até desde crianças, crianças que têm AVCs são dados infelizmente cada vez mais comuns. Basta pensarmos até nos casos de atletas jovens que morrem durante as práticas desportivas…

O estilo de vida atual, de pressa, de urgência, de perfeição, leva a que haja cada vez menos tempo para pensar na alimentação em casa, no intervalo de almoço no escritório, e que esta seja substituída cada vez mais por pratos preparados, cheios de conservantes para que possam aguentar muito tempo no frigorifico, por escolhas de alimentos mais em conta, oriundos de produções massivas de animais em que a qualidade é cada vez menos tido em conta. Só como exemplos pensemos que bebemos leite de vaquinhas às quais são dados medicamentos e antibióticos para que possam produzir mais leite, as quais passam o dia no mesmo lugar, comemos carne de animais que sofrem choques elétricos para morrer, comemos ovos de galinhas que vivem a sua vida num espaço minúsculo e ás quais foram cortados os bicos para não se picarem umas às outras de tão stressadas que estão por não se conseguirem mexer, os vegetais que estão infestados de pesticidas para que não lhes chegue qualquer praga… enfim… de onde estamos a trazer a fonte das nossas energias?

Parece complicado, difícil, mas pensemos que quanto mais difícil é sofrer na pele as consequências da nossa alimentação, das nossas escolhas – doenças que crescem silenciosas, que dão sinais que vamos camuflando com comprimidos para passar e que quando damos por isso pode já ser muito tarde: somos o que comemos, por isso porque não dar um pouco mais de atenção e escolher o melhor para nós e para os nossos filhos?

Consumo de Leite – Vale a pena refletir

milk3

 

Tanto se tem falado sobre o consumo de leite: aqui ficam alguns artigos que tem saído da comunidade científica para o exterior!

Há já algum tempo, a Harvard lançou uma nova versão da pirâmide alimentar, limitando o número de leite e lacticínios, como podem ver aqui.

Healthy Plate

 

Também recentemente, em Portugal saiu um estudo sobre o consumo de leite e seus potenciais malefícios na nossa saúde.

evite o leite

 

Entretanto, estudos anteriores efetuados em vários países sobre a relação entre o consumo de leite e cancro da próstata também sugerem que estes dois fatores estão relacionados.

leite e prostata

 

Mais uma vez a Harvard, também lançou um outro estudo em que alerta para o relacionamento entre o consumo de leite pasteurizado e a incidência de cancro.

harvard milk past

A grande base destes estudos está no fato de que o leite que se bebe hoje em dia, não têm as mesmas propriedades do leite que bebiam os nossos antepassados: desde o tipo de alimentação e da dose hormonal pelo que as vacas passam atualmente, até ao tempo que decorre entre a extração do leite e o momento em que o bebemos quantas alterações não estão presentes? Estará o nosso organismo preparado para este tipo de leite?

Sabendo que somos o que comemos (além da carga genética que transportamos), será assim que queremos ser?

Vale a pena pensar nisto… e deixarmos o leite.

Cuidado Emocional

Quem já não ouviu a expressão “Mente sã em corpo são”?

Na nossa cultura, temos tendência a negligenciar o nosso lado emocional, deixando para segundo plano aqueles sinais que vamos recebendo, enquanto eles não forem bloqueantes e nos façam efectivamente parar. Só nessa altura é que temos um pouco mais de cuidado, começamos a procurar mais informação sobre o assunto e começamos a cuidar. Mas tal como diz Luis Portela no seu novo livro “Ser Espiritual”, porque não evitar bater nos rails para seguir em frente?

Há realmente alguns aspectos a considerar no nosso equilíbrio mental/emocional aos quais poderemos dar mais atenção e que nos irão a ajudar a equilibrar o dia a dia.

Aqui ficam algumas sugestões:

– 5 mns diários para si: Por dia, deveremos ter direito a estes 5 minutos, em que nos esquecemos de tudo e todos, e apenas nos centramos em nós mesmos, e que nos darão a perspectiva de que se nós não estivermos bem connosco, não poderemos estar bem com os outros.

valorização do que nos rodeia: Quantas são as vezes em que damos por nós a queixar de tantas coisas que queríamos ser ou queríamos ter urgentemente. Tipo: gostaríamos de ter dinheiro para fazer uma viagem, para comprar uma casa nova, um carro novo, queríamos ser mais alegres, menos intempestivos, mais cooperantes e um sem fim de tantas queixas… E, dificilmente nestas situações conseguimos perceber e constatar tudo o que já temos ou já somos porque não estamos a olhar para elas, a valorizar tudo o que nos rodeia! Nunca temos tão pouco como o que achamos que temos, nem somos tão pouco como achamos que somos.

descobrir-se a si mesmo: apesar de parecer um lugar comum “descobrir-se a si mesmo”, toda a dinâmica que está por trás desta importante actividade, trás um beneficio reconhecido a quem trabalha esta componente. Entrar dentro de nós mesmo, saber responder a perguntas sobre o que somos, do que gostamos, o que fazemos que gostamos, como é o nosso dia a dia, em que nos revemos … tudo isto são perguntas que nos ajudam a descobrirmo-nos. Depois há a componente pratica: tentar, experimentar, no fundo ousar ser feliz!

meditação: a meditação é muitas vezes vista como algo demasiado elevado, para pessoas com muita pratica e que conseguem ficar longas horas em estado contemplativo e zen e que por isso nem experimentam, enquanto que na verdade trata-se de acalmar, deixar os pensamentos fluir sem qualquer tipo de julgamento, num estado de absoluta calma.

O exercício desta actividade traz-nos, entre outros, imensos benefícios em gestão de stress, na gestão de emoções em situações imprevistas e difíceis.

Aprender a observar a natureza: porque não olhar o por do sol, ou o nascer, a chuva a cair, contemplar as ondas do mar, ou sentir o calor dos raios de sol na nossa pele? A beleza de uma nascente, de um riacho, observar o verde das árvores. Termos noção de que não estamos sozinhos, de que fazemos parte deste planeta e que tudo tem o seu lugar e o seu momento.

A ideia da urgência, fruto do dia a dia que temos, em que parece que tudo é para ontem, e que temos que estar sempre a fazer mais que uma coisa ao mesmo tempo senão não estamos a aproveitar, a “ser produtivos”, desgasta-nos e deixa-nos vulneráveis.

Estas são algumas ideias, sugestões de actividades para cuidarmos do nosso lado emocional/mental, para nos ajudar a equilibrar J

Já teve os seus 5 mns de hoje?